VOCÊ NO SAMBA / Galerias

  • Botafogo Samba Clube lança enredo para 2020 na festa de seu primeiro aniversário

    Lucia Mello em 19 de Agosto de 2019


    Na tarde deste domingo, 18 de agosto na quadra do GRES São Clemente foi realizada a festa do primeiro aniversário do GRES Botafogo Samba Clube, a festa contou com a participação de várias personalidades do samba e o lançamento do enredo e da sinopse do Botafogo Samba Clube para 2020, de autoria do carnavalesco Rodrigo Marques. A escola fará uma homenagem a ilustre e eterna alvinegra Beth Carvalho, no desfile do Grupo Especial da Intendente Magalhães, no dia 24 de fevereiro. 


    Enredo: Seria injusto não falar de você, Beth Carvalho. Esse é o Botafogo que eu gosto! 

    ♫ Coisinha do Pai...

    “Você vale ouro todo o meu tesouro

    Tão formosa da cabeça aos pés

    Vou lhe amando lhe adorando

    Digo mais uma vez

    Agradeço a Deus por que lhe fez...” ¹

    Apesar de possuir uma extensa lista de prêmios recebidos dentro do Brasil e no exterior aliado a uma carreira recheada de prestígio, Beth Carvalho jamais poderia esperar que teria sua música levada para fora do planeta Terra. Este fato ocorrera em idos dos anos 90, quando sua música “Coisinha do Pai”, composta pelos sambistas Jorge Aragão, Almir Guineto e Luiz Carlos foi acionada por engenheira brasileira da NASA,em uma missão para acordar um robô em Marte. A partir daí, podemos dizer que Beth se tornou uma cantora interplanetária, feito este inédito para um artista brasileiro.

    ♫ Andança...

    “Vim, tanta areia andei

    Da lua cheia eu sei

    Uma saudade imensa

    Vagando em verso eu vim

    Vestido de cetim

    Na mão direita, rosas

    Vou levar...” ²

    O primeiro contato de Beth Carvalho com a música começou cedo, tendo sua família papel fundamental para tal. Aos 8 anos, teve como inspiração canções de Sílvio Caldas, Elizeth Cardoso e Aracy de Almeida, grandes amigos de seu pai, que a levava com frequência aos ensaios das escolas de samba. Já sua mãe, tocava piano. Portanto, agregado a essas inspirações paternas,Beth viria a despertar futuramente sua veia artística, tornando-se sambista.

    Na adolescência, inspirada pela bossa nova, começou a tocar violão e acabou virando professora de música. Beth começava a respirar o samba e, rompendo barreiras acabou dando voz a gênios esquecidos. Passou então a gravar sambas-enredo numa época em que apenas homens o fazia, tornando assim pioneira no segmento.

    ♫ As rosas não falam...

    “Bate outra vez

    Com esperanças o meu coração

    Pois já vai terminando o verão

    Enfim...” ³

    Embaixo do pé de uma tamarineira conheceu o tradicional bloco carnavalesco Grêmio Recreativo Cacique de Ramos, local frequentado por ela durante sua infância. Sendo uma grande admiradora do bloco carnavalesco, Beth ajudou a dar fama internacional ao Cacique de Ramos, através de “Caciqueando”.

    Outro reduto da música que teve grande relevância em sua formação pessoal e profissional foi a Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira. Foi lá que Beth Carvalho cantou uma vez e se encantou para sempre. Daí, acabou se aproximando de Cartola e Nelson Cavaquinho, dois grandes gênios, assumindo assim o papel de madrinha do samba desde então.

    Anos depois, quando já era uma sambista batizada, crismada e torcedora da mangueira, Beth seria evidenciada na rival Portela,que reconheceu nela a importância da união e amizade por através da música, recebendo esta homenagem das mãos da Velha Guarda portelense. Foi um reconhecimento pelo fato de ela ser a cantora que mais gravou canções dos compositores da tradicional agremiação de Madureira.

    E por falar em Carnaval, agremiações como Unidos do Cabuçu e Alegria da Zona Sul já dedicaram desfiles a Madrinha do Samba.

    ♫ Camarão que Dorme a Onda Leva...

    “Não pense que meu coração

    Não pense que meu coração é de papel

    Não brinque com o meu interior

    Camarão que dorme a onda leva

    Hoje é o dia da caça, amanhã do caçador

    E camarão que dorme

    Camarão que dorme a onda leva

    Hoje é dia da caça, amanhã do caçador...” 4

    Com todas essas referências culturais, Beth atingiria o ápice de sua carreira sendo agraciada com o Grammy Latino, anos depois. Dona de uma voz única e interpretações memoráveis, imortalizou clássicos do samba de diversas épocas, entre os quais Andança (de Danilo Caymmi, Edmundo Souto e Paulinho Tapajós), Folhas Secas (de Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito), O Mundo é um Moinho e As Rosas não Falam (ambas de Cartola).

    Seu sucesso era tanto que rompia fronteiras. E independentemente da barreira linguística, Beth se apresentava em vários palcos do exterior, alegrando o público com um bom samba e empolgando nações. Exibiu-se em importantes cidades do continente americano, bem como na Europa e na África.

    O dom de Beth de resgatar e revelar inúmeros músicos e compositores é sempre lembrado. Entre seus muitos afilhados estão Zeca Pagodinho, o grupo Fundo de Quintal, Arlindo Cruz e Jorge Aragão.

    ♫ Esse é o Botafogo que eu gosto...

    “Esse é o Botafogo que eu gosto

    Esse é o Botafogo que eu conheço

    Tanto tempo esperando esse momento, meu Deus

    Deixa eu festejar que eu mereço...” 5

    Se por um lado seu coração passou a bater mais forte pelo verde e rosa da Mangueira,por outro já batia preto e branco no futebol desde o berço. Foi dentro de casa que Beth aprendeu a carregar no peito a Estrela Solitária. Fã confessa da habilidade e classe de Nilton Santos, soube, quando o conheceu, que era ídolo do ídolo. Mas foi com a folha-seca de Didi e com os dribles de Garrincha que acabou se empolgando. Anos depois, quando já cantora,jogadores como Jairzinho, Paulo Cesar Caju, Marinho Bruxa, Afonsinho tornaram seus amigos nos encontros no Cacique de Ramos. Bem depois, em 1995, teve com Túlio Maravilha seu momento inesquecível como torcedora do clube que se sagraria campeão brasileiro naquele mesmo ano.

    Sua paixão por futebol era tão grande que ela acabou se casando com um jogador de futebol, tendo gerado sua única filha, Luana.

    Beth Carvalho dizia: “Não existe no mundo nada mais emocionante do que ser enredo de uma escola de samba. É a maior consagração que um artista pode ter”. Sendo assim, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Botafogo Samba Clube levará para 2020 o enredo “Seria injusto não falar de você, Beth Carvalho. Esse é o Botafogo que eu gosto!”

    Festejaremos lá!

    Uma homenagem à Beth Carvalho.

    Trecho 1: Música – Coisinha do Pai

    Trecho 2: Música – Andança

    Trecho 3: Música – As Rosas não Falam

    Trecho 4: Música – Camarão que Dorme a Onda Leva

    Trecho 5: Música – Esse é o Botafogo que eu gosto

    Texto: Rodrigo Marques



ANUNCIANTES






SIGA O Ti Ti Ti!

#TITITIDOSAMBA